Thursday, August 28, 2008

_Super “Vouilloz” voou na Madeira e Alexandre Camacho foi 3º_

Depois de três anos consecutivos sem vencer no Rali Vinho Madeira, eis que a Peugeot conseguiu quebrar esse jejum, através de Nicolas Vouilloz acompanhado por Nicolas Klinger tripulando um Peugeot 207 S2000 vencendo a 49ª edição do Rali Vinho Madeira, aproveitando os azares dos seus mais directos adversários (Giandomenico Basso e Bruno Magalhães). A dupla francesa desde muito cedo começou a demonstrar no asfalto que queria sair da nossa ilha com a vitória nas mãos e bastou ver o tempo “canhão” de realizado por esta equipa, batendo o recorde de 2006 feito por Renato Travaglia por um segundo e quatro décimas de segundo, fazendo crer que íamos ter muita luta pelo primeiro lugar e isso confirmou-se até ao último metro de asfalto da edição deste ano da prova madeirense. Os vencedores das últimas duas edições, Giandomenico Basso e Mitia Dotta em Fiat Punto Abarth, não foram além do segundo posto, fruto de uma má escolha de pneus efectuada no segundo dia de prova que fez com que a equipa da marca italiana perdesse 20 segundos para os seus mais directos adversários, terminando a cinco segundos e quatro décimas dos vencedores do rali. A fechar o pódio terminou, o melhor português e o melhor madeirense, Alexandre Camacho navegado por Pedro Calado ao volante do Peugeot 207 S2000 fruto de uma grande prestação por entre equipas oficiais que competem no IRC e no Europeu de Ralis que podia ter sido ainda melhor, se Basso não lhe tivesse “roubado” o lugar intermédio na última classificativa do rali, terminando a oito segundos exactos do vencedor da edição deste ano do Rali Vinho Madeira. Renato Travaglia e Lorenzo Granai, em Fiat Punto Abarth S2000 classificaram-se no quarto lugar final aproveitando também os azares dos outros pilotos para subirem na classificação geral ficando a quarenta e um segundos e duas décimas do primeiro classificado. A encerrar o “top-five”, ficaram Luca Rossetti e Matteo Chiarcossi tripulando um Peugeot 207 S2000 devido ao mau conhecimento das especiais madeirenses sendo que foi a primeira vez que esta equipa “rodou” pelas serras da Madeira. Resta acrescentar que se Bruno Magalhães não tivesse tido aquele furo na viatura francesa, teríamos um luso no lugar mais alto do pódio. Para visualizar o resto da classificação final, clique aqui.

1 comment:

tibéu said...

Vim deixar um beijinho